About Us tem vaca na moita tem vaca na moita Of All Categories Academics, Arts, Autos, World & Business, World News, Business & Finances, Consulting, Entrepreneurship, Politics, Career & Jobs, Computers, Education & Training, Entertainment, Celebrities, Movies, Music Television, Food & Drink, Games, Gaming News, Nintendo Wii,PC Games, PlayStation Xbox 360, Health & Fitness, Home & Garden, Humor, Law & Legal, Lifestyle, Fashion, Marketing, SEO, Mobile, Personal, Parenting, Relationships, Pets, Photos, Real Estate, Recreation & Sport, Religion, Science, Shopping, Sports, Baseball, Basketball, Extreme, Football, Golf, Hockey, Motorsport, Soccer, Tennis, Technology, Tech News, Apple, Blogging, Design, Gadgets, Hardware, Internet, Linux/Unix, Microsoft, Programming, Security, Software, Web 2.0, Wireless, Web Hosting, Travel, Video Blogs, Writing, Wallpaper.

Friday, December 9, 2011

Comissão de Educação e Cultura homenageia 50 anos da campanha "De pé no chão também se aprende a ler"


A Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados (CEC) fará uma audiência pública nesta terça-feira (13) para homenagear os 50 anos da campanha de alfabetização “De pé no chão também se aprende a ler”, realizada em Natal no início da década de 60.
O embrião de "De pé no chão também se aprende a ler" foi formado durante a campanha de Djalma Maranhão para prefeito de Natal. A população se organizara em comitês de bairros, e a principal reivindicação era, de longe, a erradicação do analfabetismo. A capital possuía 160 mil habitantes, 37% deles analfabetos.
Ao assumir, e sem recursos para o aluguel de salas, Djalma Maranhão solicitou a sindicatos, igrejas, clubes de futebol e residências particulares para que abrissem suas portas e abrigassem as “escolinhas” . A primeira escola ecológica não possuía paredes, nem uniforme, nem sapato. O teto era de palha de coqueiro. Em 1962 já eram dez “acampamentos escolares”, com teatro de arena, espaço de lazer e bibliotecas populares distribuídos nos quatro cantos da cidade.
Os adultos que não frequentavam as escolas começaram a receber aulas em suas casas; os alunos aprenderam profissões; os professores receberam formação continuada; a campanha se interiorizou. Em 1964 foi extinta pelo Golpe Militar. Havia alfabetizado 25 mil alunos e democratizado a cultura popular da cidade como nunca antes acontecera.
Foram convidados para participar da audiência pública a psicanalista e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Clara Raissa de Góes da Rosa Silva, filha do educador Moacyr de Goés; o professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Willington Germano; e o cardiologista Geniberto Paiva Campos, membro da Comissão Brasileira de Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.
Paulo Freire
Autor do livro Pedagogia do Oprimido, Paulo Freire é considerado um dos pensadores mais notáveis na história da pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado Pedagogia Crítica. A sua prática didática fundamentava-se na crença de que o educando assimilaria o objeto de estudo fazendo uso de uma prática dialética com a realidade, em contraposição a por ele denominada educação bancária, tecnicista e alienante. O educando criaria sua própria educação, fazendo ele próprio o caminho, e não seguindo um já previamente construído.
“Pedagogo reverenciado no Brasil e no mundo, Paulo Freire é autor de um método de alfabetização e de uma prática de ensino-aprendizagem que ainda influencia profundamente a educação em todos os continentes, especialmente naqueles países em que o déficit educacional de letramento, em termos percentuais, alcança os dois dígitos”, argumentou a professora e deputada Fátima Bezerra (PT/RN), autora do requerimento para a realização da audiência. “Educar não é apenas um ato pedagógico e, também, um ato político, pois antes de compreender as palavras, é preciso compreender o mundo”.
Em 1961, Paulo Freire lançou em Recife (PE), seu método revolucionário que alfabetizava em 40 horas, sem cartilha ou material didático. Foi com base neste ideario que surgiu a campanha  “De Pé no Chão Também se Aprende a Ler” em Natal sob a liderança de Moacyr de Góes.
Com o golpe militar de 1964, a experiência de Paulo Freire, já espalhada por todo o país, foi abortada sob a alegação de que era subversiva, propagadora da desordem e do comunismo. A cartilha do MEB foi rasgada diante das câmeras de televisão, no Programa Flavio Cavalcanti, depois de ter sido proibida, no extinto Estado da Guanabara, pelo então Governador Carlos Lacerda. Considerado inimigo do Estado, Paulo Freire teve de se refugiar na Bolívia, único país latino-americano a lhe dar asilo político. Morou um tempo na Europa e voltou para o Brasil depois da anistia, em 1979.
“Nesse tempo de resgate da Memória, da Verdade e da Justiça, queremos com essa audiência pública reverenciar tanto a campanha como o importante educador Paulo Freire pelo legado que ele deixou para a educação brasileira e a contribuição que ainda dá neste momento em que estamos às voltas da aprovação de um dos projetos mais importantes para a educação brasileira que é o Plano Nacional de Educação. Que Paulo Freire nos inspire nessa luta, afinal é o projeto de nação que está em jogo. Uma nação que se pretende generosa, com democracia, liberdade, cidadania, emprego, distribuição de renda e inclusão social tem que reconhecer o caráter estratégico da Educação como um direito e um bem público e universal. Era assim que pensava Paulo Freire, é assim que devemos pensar e agir", disse Fátima Bezerra.
assessoria

No comments:

Post a Comment

Search This Blog

Loading...
Preview on Feedage: tem-vaca-na-moita Add to My Yahoo! Add to Google! Add to AOL! Add to MSN
Subscribe in NewsGator Online Add to Netvibes Subscribe in Pakeflakes Subscribe in Bloglines Add to Alesti RSS Reader
Add to Feedage.com Groups Add to Windows Live iPing-it Add to Feedage RSS Alerts Add To Fwicki
Add to Spoken to You
Entertainment Powered by Mysiterank Dr.5z5 Open Feed Directory Feedage Grade B rated

Blog Archive